A Coréia de Huntington

Kaka ao computadorA Coréia de Huntington, ou Doença de Huntington, é uma doença genética e hereditária que geralmente acomete o indivíduo quando este já tem entre trinta e quarenta anos, como foi no caso da Kaká. Existem pessoas que desenvolvem a doença na infância ou na juventude, e outras já mais tardiamente, mas são casos mais raros.

A pessoa herda o gen que determina a doença do pai ou da mãe que é portador, como foi a mãe da Kaká. As chances de um portador ter um filho com o gen que determina o aparecimento da Doença de Huntington é de 50 por cento, e aquele que tem esse gen vai um dia desenvolver os sintomas da doença.

Esses sintomas são basicamente de ordem neurológica, consistindo principalmente de movimentos involuntários e desordenados, que nos estágios iniciais afetam mais as extremidades, como pés e mãos, e com o tempo aumentam, de forma a acometer todos os segmentos do corpo, prejudicando de maneira acentuada a coordenação e o equilíbrio.

Com o tempo toda a musculatura é afetada, incluindo a musculatura da boca e da garganta, responsáveis pela deglutição e pela fala, ocasionando dificuldade crescente para a articulação das palavras e para a deglutição, o que causa engasgos e dificulta a alimentação, além de ser às vezes difícil entender o que a pessoa fala.

Também com o passar do tempo começa a ocorrer uma certa atrofia da musculatura, associada à intensificação da atividade muscular involuntária e à perda gradativa de peso. Esta última ocorre devido à limitação da ingestão alimentar pelo problema de deglutição e ao grande consumo de energia pela constante movimentação que caracteriza a Coréia de Huntington.

Kaka sorrindoA pessoa se torna altamente susceptível a quedas e contusões ocasionadas pelo equilíbrio precário, bem como a doenças infecciosas devido à queda da resistência imunológica causada pelo estado nutricional prejudicado.

Todos os fatores acima expostos levam a limitações múltiplas e crescentes, das quais se pode ter uma idéia com a leitura do livro escrito pela Kaká, "Como eu venci a Coréia". Além disso, é fácil imaginar que uma pessoa com todos esses problemas pode se tornar depressiva, revoltada e infeliz, principalmente tendo-se em vista que até o presente momento não existe nenhum tratamento que leve à cura ou mesmo à estabilização da Doença de Huntington.

O que torna a Kaká tão especial é esta sua maneira de encarar a vida sem depressão e sem revolta, e assim ser feliz, muito mais feliz do que muita gente sadia.

Para informações mais detalhadas sobre a Coréia de Huntington recomendamos consulta ao site: www.abh.com.br.